UNS TÊM E TÊM; OUTROS NÃO TÊM E TÊM; E OUTROS TÊM MAS NÃO TÊM! - escrito por José Ouverney em 04.10.2013

(Veja mais textos do autor em http://www.falandodetrova.com.br/ouverneyconverso)

 

Conheço gente de muito talento que morre de vontade de editar um livro mas não dispõe de recur$o$, citando em primeiro plano o meu amigo, Professor Pedro Mello, da UBT São Paulo.

     Conheci mais uma plêiade de trovadores talentosos que morreram e nos deixaram órfãos de sua produção, pois não editaram livro algum, mesmo dispondo dos referidos e indispensáveis recur$o$.

     Em Pinda, entre os trovadores locais, eu citaria o João Paulo e o Valdez principalmente. O próprio Maurício Cavalheiro já lançou livro de poemas livres, literatura infantil e contos mas ainda esperamos ver um trabalho de sua lavra voltado para a Trova.

     Por outro lado, temos visto, principalmente nos gêneros “poema livre”, tanta gente que lança tantos livros, mesmo sem qualquer vocação poética! Se lhes falta o conteúdo literário, sobram-lhes recur$o% e nada os impede. Chegam a promover “Noites de Autógrafos”, com direito a coquetel, tietagem e fotos nas colunas sociais!

     Quem diria! Vivemos novos tempos. Fosse como outrora, a crítica viria, de maneira tão devastadora, que poderia inibi-los a novas infelizes incursões. Ou não!

     Mas, para nossa felicidade, grandes nomes da Trova brasileira deixaram impressa a sua alma antes de partirem. Cito exemplos mais recentes como: Izo Goldman, João Freire Filho, Newton Meyer Azevedo. Graças a Deus, mesmo postumamente, veio a lume também o livro de Waldir Neves.

     Aproveito esta semana em que os trovadores celebram São Francisco de Assis, protetor da UBT, para conclamar a todos os bons trovadores que ainda não registraram seu trabalho, que o façam. Mesmo que isto lhes custe um sacrifício maior do que plantar uma árvore ou gerar um filho.
-------------------------------------------------------------
texto de José Ouverney,publicado pela primeira vez em 04.10.2013.