TROVAS QUE CRUZAM FRONTEIRAS

     Convencionalmente as trovas se classificam em líricas, filosóficas e humorísticas, sendo as duas primeiras englobadas em uma só categoria para fins de concursos.

     Entretanto, há trovas que cruzam essas fronteiras delimitadas pela convenção de gênero. Algumas trovas são líricas e filosóficas, outras são filosóficas e religiosas, outras são líricas e pictóricas... enfim, muitas trovas “invadem” as fronteiras e nos proporcionam um prazer estético redobrado.

     Mas há um tipo de cruzamento menos frequente, a trova humorística que possui elementos líricos. Isso me chamou a atenção em duas trovas de dois trovadores pouco citados: Luiz Pizzoti Frazão e Batista Soares.

     O primeiro, já falecido, era de Niterói e alcançou o título de Magnífico Trovador em Humorismo por Nova Friburgo, e a seguinte trova foi uma das três premiadas:

Ao ver que iam ser defuntos,
o porco disse à mulher:
- Quem sabe nos deixam juntos
em uma linguiça qualquer...?!

     Ouvi essa trova de Waldir Neves, que a considerava uma joia de humorismo. Na época não atentei para o fato de que ela contém um elemento lírico. Seria singela a “declaração de amor” do porco, não fosse ele um animal próximo do matadouro...

     A outra trova é da autoria de Batista Soares, de Fortaleza, e a conheci através de Heloísa Zanconato, que a considera uma trova muito criativa por causa cruzamento do lírico com o humorístico:

Senhor, que em meu lar não caiba
o adultério nem o abrigue...
Mas, se couber, que eu não saiba...
E, se souber, que eu nem ligue...!

     Essa é, como diria um nordestino, a trova do “corno manso”. É humorística, sem dúvida, e chegou a ganhar o 2º. lugar em Nova Friburgo. Sinceramente acho que merecia o primeiro... Nesse caso, a trova é humorística, lírica (ama a mulher mesmo que ela o traia!) e chega a ter um elemento de religiosidade porque interpela a Deus. É pouca coisa???

Obs: Aos trovadores que lerem minha coluna, peço que colaborem comigo e me enviem trovas que cruzam as fronteiras... Meu e-mail é: prof.pedromelo@gmail.com.
Um grande abraço!

]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]]

NOTA: O Professor Pedro Mello, 31 anos, é um dos jovens talentos da Trova brasileira, além de um de seus mais ardorosos amantes.