PEDRO ORNELLAS
E SUA HISTÓRIA DE AMOR COM NOVA FRIBURGO
(texto de Pedro Mello)
 

PARTE 3 – O MAGNÍFICO

 

          Conforme mencionamos na primeira parte, a história de amor de Pedro Ornellas com Nova Friburgo começa em 1986. No decorrer dos anos, Pedro Ornellas alternou premiações nas duas modalidades, sendo em alguns anos premiado nas duas modalidades simultaneamente, conforme podemos ver no quadro a seguir:

 

Ano

Gênero

Tema

Classificação

Nº.  de Trovas

1986

Humorismo

Livre

 12º

1

1987

Humorismo

Livre

 

1

1988

Lírico

PROCURA

 17º

1

1988

Humorismo

Livre

 13º e 14º

2

1989

Lírico

TEIMOSIA

6º e 18º

2

1989

Humorismo

Livre

6º e 10º

2

1990

Lírico

LEMBRANÇA

3º e 5º

2

1990

Humorismo

Livre

1

1992

Lírico

EMOÇÃO

2º e 12º

2

1992

Humorismo

Livre

11º

1

1993

Humorismo

Livre

1º e 6º

2

1994

Lírico

DESPREZO

10º

1

1994

Humorismo

Livre

1

1995

Lírico

POETA

5º e 8º

2

1996

Lírico

MAGIA

4º, 6º e 10º

3

1998

Humorismo

PREGUIÇA

1

2001

Humorismo

RECEITA

1º e 4º

2

2002

Humorismo

BOTECO

1

2003

Humorismo

SURPRESA

1

TOTAL

-

-

-

29 trovas:

16 – hum.

13 – fil.

 

            Uma vez conquistado o título de Magnífico, Pedro logo também começou a se classificar no concurso paralelo dos Magníficos, tanto com trovas isoladas quanto em conjuntos.            Pedro Ornellas tornou-se Magnífico Trovador no Gênero Lírico em 1996. Sua primeira premiação no tema lírico dos Magníficos viria a acontecer em 1999, no tema MENSAGEM, no qual classificou o 1º. lugar nas trovas isoladas:

 

O meu sonho de criança,
sem causa e razão de ser,
foi mensagem de esperança
que a vida rasgou... sem ler!

 

            Em 2004, classifica ambos os conjuntos em 3º. lugar. O tema lírico foi ALMA:

 

Desprovida de agasalho,
prevendo invernos medonhos,
minha alma “quebrando o galho”
põe remendo em velhos sonhos!

 

Lá fora o dever me chama...
e ao me afastar, cada dia,
deixo minha alma na cama
abraçada com Maria!

 

A vida e o tempo promovem
este mal que causa estresse:
conservam minha alma jovem
enquanto o corpo envelhece!

 

Vi, magoado, comprovando
que a vida fez pouco caso,
minha alma-gêmea chegando
com trinta anos de atraso!

 

Duas paixões divididas,
duas escolhas erradas...
Duas almas sempre unidas,
duas vidas separadas!

 

            O tema humorístico foi GEMIDO:

 

Tome um chazinho, marido,
que melhora a congestão...
E o comilão, num gemido:
- Só tomo se for com pão!

 

Geme a sogra, toda ardida...
“Quem foi – ‘bronqueia’ o Nestor –
que pôs óleo de comida
no frasco de bronzeador?”

 

“Quero um bolinho!” Da cama,
diz num gemido, o Libório.
“Não pode! – o netinho exclama –
Mamãe fez para o velório!”

 

É um puxa-saco tremendo!
Diz, na firma, o pessoal,
que já foi visto gemendo
quando o patrão passou mal!

 

“Não terei mais seu carinho...”
Reclama a viúva ao padre...
“Nem eu... nem eu... Bem baixinho,
geme, num canto, a comadre!

 

          Em 2006, Pedro Ornellas premia o conjunto de trovas líricas, tema DESERTO, desta vez em 1º. lugar. Premia também duas entre as isoladas, obtendo o 1º. e o 3º. lugar:

 

Deserto imenso, inclemente,
que martiriza quem ama,
é o que mede exatamente
a metade de uma cama! (1º)

 

Se falta você por perto
a saudade arruma um jeito;
traz a extensão do deserto
e faz caber no meu peito! (3º)

 

Sem Deus, quem faz e alardeia,
do que afirmo estou bem certo:
é menos que um grão de areia
na imensidão do deserto!

 

Cuidar do pouco que resta
é medida imprescindível...
Vira deserto a floresta,
o inverso é quase impossível!

 

Mundo novo é fato, é certo!
Deus promete e eu creio sim!
Posso ver cada deserto
já transformado em jardim!

 

          No mesmo ano ainda premia no humorismo uma trova em 3º. lugar nas isoladas, tema PESCARIA:

 

“Vais pescar?” Ouvi ligeiro
dois surdos perto do bar...
“Não, vou pescar!” – E o primeiro:
“Pensei que fosse pescar!”

            Em 2007, no humorismo, tema CALOTE, classifica-se em 3º. lugar no conjunto e 3º. lugar nas isoladas:

 

Meu pai, comprando fiado,

que tem palavra provou...

Prometeu ao ser cobrado:

“Eu não pago!’ - E não pagou! (3º)

 

Diz, gabando-se ao vizinho

um portuga que eu conheço:

- Não me pagaste, espertinho,

mas eu te roubei no preço!

 

Desta feita o Zé Trapaça

se enrolou, nem sabe o quanto!

Fez promessa, teve a graça

- e deu calote no santo!

 

“Limpo seu nome na praça.”

E um caloteiro safado

lendo, por sonso se passa

e pergunta: “Faz fiado?”

 

Calote??? Eu to lhe dizendo,

não dei não, seu Delegado!!!

Combinei ficar devendo...

- Pagar não foi combinado!

 

            Em 2009, no ano do cinquentenário dos Jogos Florais, o tema do humorismo dos Magníficos era CIÚME. Pedro classifica o conjunto em 3º. lugar e duas trovas entre as isoladas, 1º. e 3º. lugar:

 

Tomou medida extremada

por ciúmes e “entrou bem”!...

Mandou embora a empregada

- e o marido foi também! (1º)

 

Fato estranho e repetido

deixa a madame cismada:

sempre que beija o marido

a babá fica emburrada! (3º)

 

“Se eu morrer, vai se casar?

e a outra – quero resposta,

vai usar esse colar?”

E o marido: “Ela nem gosta...”

 

Pôs cinto de castidade

na mulher, e a coisa é grave...

Dizem que uns dez na cidade

já têm a cópia da chave!

 

“Praia, não!!!” e em tom zangado

explica a mulher do Apolo:

- Quando vai, esse safado

sempre arranja um torcicolo!

 

            Conforme vimos, a história de amor entre Pedro Ornellas e Nova Friburgo é antiga e duradoura. Se contarmos desde o início, em 1986, até o último concurso em que ele concorreu, 2009, Pedro só não premiou lá em 1991, 1997, 2000, 2005 e 2008. Premiou em todos os outros, de 1986 a 2009, e em diversos deles nos dois gêneros – lírico e humorístico. Conforme contabilizamos na primeira parte, Pedro Ornellas premiou ao longo de 23 anos de Jogos Florais 56 trovas, das quais 24 líricas ou filosóficas e 32 humorísticas.

 

          Nos dois gêneros, ainda nos temas nacionais, ele premiou 29 trovas: 16 humorísticas e 13 filosóficas. Como Magnífico, premiou 27 trovas: 16 humorísticas e 11 líricas, das quais foram 3 conjuntos e 1 isolada no humor e 2 conjuntos e 1 isolada no gênero lírico. É o que podemos ver no quadro que segue, contabilizados todos os prêmios dele, de 1999 a 2009:

 

Ano

Gênero

Tema

Classificação

Nº.  de Trovas

1999

Lírico

Mensagem

1 - isolada

2004

Lírico

Alma

5 - conjunto

2004

Humorismo

Gemido

5 - conjunto

2006

Lírico

Deserto

5 – conjunto

1º e 3º

isoladas

2006

Humorismo

Pescaria

1 - isolada

2007

Humorismo

Calote

5 - conjunto

2009

Humorismo

Ciúme

2º.

5 – conjunto

1º e 3º

isoladas

Total

 

 

 

27 trovas:

16 – hum.

11 – lir/fil

 

            É uma relação duradoura... Uma paixão antiga e abrasadora entre Pedro Ornellas e a cidade que é o berço dos Jogos Florais. Não é à toa que Pedrinho, como é carinhosamente chamado pelos amigos, firmou-se como um dos dez maiores trovadores vivos do país. Tão farta e de tamanha qualidade é a sua produção – aqui representada por Friburgo –, que só para contar este pedaço de sua história, precisamos dividir em três partes para não cansarmos os nossos leitores.

 

            Assim, se você também é fã das trovas de Pedro Ornellas, saiba que não está sozinho!

 

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.