http://falandodetrova.com.br/izoateofim

                                              A PRESSA...

      O velho ditado de que “a pressa é inimiga da perfeição”, parece cada vez mais válido. Até mesmo uma grande Trovadora, e querida Irmã, foi vítima... Num artigo intitulado “Os Temas das Trovas” ela afirma: “Falo das repetições constantes dos Temas nas Trovas”.       Se tivesse feito um levantamento, só dos últimos três anos, 2006, 2007 e 2008, teria constatado que tivemos 160 Temas de Concursos; destes, apenas 11 foram repetidos e um foi usado três vezes. Portanto apenas 7.5% dos Temas foram repetidos, o que , convenhamos é um número bastante aceitável.      Mais adiante ela continua: “Se um tema é bonito, ele favorece à criação de Trovas bonitas, é lógico”. Será mesmo? O que serão Temas bonitos? Amor? Saudade? Carinho? Destino?      Creio eu que, dentro destes Temas “bonitos” será muito mais fácil o aparecimento do “lugar comum”. Talvez os Temas “originais” façam com que tenhamos “Trovas antológicas”. Por exemplo, se o Tema fosse “PAPALVOS” teríamos Jacy Pacheco: Olhai, racistas, papalvos, das mãos o exemplo de amor; seios negros, seios alvos, dão leite da mesma cor...      E, convenhamos, “papalvos” não é uma palavra bonita... ou, se o Tema fosse “ELETROCARDIOGRAMA”, teríamos V.C.Soares de Souza: Prova o eletrocardiograma, com seus riscos desiguais, que o coração que mais ama, é sempre o que sofre mais...

 

 

     Com certeza, “eletrocardiograma” não é uma palavra bonita ou, pasmem, o Tema fosse “CIBERNÉTICA”, e Madalena Léa dissesse: Uma pergunta patética acode às mentes insanas, no tempo da cibernética, que farão as mãos humanas?      E, cá pra nós, “Cibernética” é de doer! Vamos concluir com “CARDIOLOGIA” e com Athos Fernandes: Meu coração desafia vossa perícia, Doutor; não cura a Cardiologia, cardiopatias de amor...

     Neste caso o tema poderia ser, também, “cardiopatia”, o que daria no mesmo! Também sou contra a repetição de Temas em Concursos; também sou contra o uso de temas “menos poéticos” em Concursos, mas, primeiro, acho o número de repetições pequeno, e, segundo, tenho dúvidas se é o tema “poético” ou o tema “original” que “obriga” o Trovador a fazer Trovas melhores. Agora em 2009 já temos: Medalha; Planeta; Pagé; Cigano; Chilique; Tropeço e Teatro, entre outros.      Talvez até não seja bem assim, mas, é bom pensar no assunto.

 ============================================    

  Izo Goldman está na Trova desde 1972. É "Magnífico Trovador" por Nova Friburgo, "Notável Trovador" por Pouso Alegre, já foi presidente da UBT São Paulo (municipal e estadual) e Secretário da UBT Nacional, entre outros cargos. Lançou em 2008 o livro "Trovas de quem ama a Trova", cujo título, por si, é o cartão de apresentação do autor.